Facebook marca carta de independência dos EUA como discurso de ódio

A plataforma vem aplicando medidas que visam impedir que este tipo de conteúdo se espalhe na rede social.

Os Estados Unidos se tornou um país no dia 4 de julho de 1776 e o documento que oficializou a separação das Treze Colônias foi assinado pelos representantes no que ficou conhecida como a ‘Declaração de Independência’, considerada um dos pilares da formação da nação americana. Mas, ao que parece, o Facebook viu o documento de outra forma.

Segundo a CNN, o conteúdo da declaração foi alvo da fiscalização do Facebook e acabou sendo enquadrada como ‘discurso de ódio’, após o jornal do Texas The Liberty County Vindicator postar trechos da carta. As frases que foram alvo da censura foram os parágrafos 27 e 31, apagadas logo em seguida pelo algoritmo do Facebook.

A plataforma vem aplicando medidas que visam impedir que este tipo de conteúdo se espalhe na rede social. Após perceber que havia cometido um erro, a rede social recuperou o post e enviou um e-mail pedindo desculpas pelo ocorrido. “Parece que nós cometemos um erro e removemos algo que você postou no Facebook que não ia contra nossos Padrões de Comunidade. Nós queremos nos desculpar e que você saiba que restauramos seu conteúdo e removemos quaisquer bloqueios impostos à sua conta relacionados a essa ação incorreta.”

Casey Stinnet, editor do jornal, acredita que a remoção ocorreu por conta da expressão “indian savages” (índios selvagens, em tradução livre). Ele acredita que o documento foi excluído de forma automática. “Se qualquer humano trabalhando no Facebook tivesse que revisá-lo (o post), ele seria permitido sem sombra de dúvidas”.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.